Softaliza
Guerra da Rússia

Guerra da Rússia: comunidade científica reage

A Guerra da Rússia com a Ucrânia 

É difícil pensar na humanidade sem brigas. Os relatos de confrontos entre grupos de pessoas desde os primórdios da espécie. Entretanto, isso não quer dizer que as disputas tenham se tornado “normais”. Por isso, elas sempre geram reações e a guerra da Rússia com a Ucrânia não poderia ser diferente.

A Rússia tem sofrido diversas sanções por causa da invasão da Ucrânia. Elas começaram como questões econômicas e comerciais. Entretanto, as sanções se expandiram para outras áreas. Por exemplo, o futebol, as artes e o meio acadêmico. 

Leia também: Eventos científicos online: pesquisa mostra que cientistas querem manter-se digitais

Na área da pesquisa, a discussão começou de forma branda. Cientistas lançaram comunicados e cartas. Segundo a revista Nature, as mensagens eram de apoio aos colegas ucranianos. Além disso, de repúdio a invasão do país. 

Entretanto, os pesquisadores não pararam por aí. Especialmente porque o confronto está longo e cada vez mais violento.

A reação da comunidade científica 

Pesquisadores ucranianos começaram a fazer mais pressão sobre o tema. Em entrevista à Nature Maksym Strikha, físico da universidade de Kieve, afirmou:

“Deveria haver um boicote completo à comunidade acadêmica da Rússia. Nenhuma cooperação”

Mas não são apenas os ucranianos que pensam assim. Outro exemplo é o do biólogo  Eugene Koonin, membro do centro de biotecnologia dos EUA. Ele era tinha filiação estrangeira na Academia de Ciências Russas. Porém, renunciou ao título. Qual a justificativa? Ele acusa a instituição de omissão.  

Além disso, um grande grupo de pesquisadores da Alemanha já interrompeu as parcerias com russos.

Ou seja, o movimento está acontecendo em várias partes do mundo. Portanto, se os russos forem banidos das pesquisas científicas, eles não poderão mais cooperar em pesquisas internacionais. Além disso, as revistas científicas proibirão publicações de russos. Maksys afirma que:

“A comunidade acadêmica russa também deveria pagar um preço por apoiar Putin” 

Entretanto, não são todos os acadêmicos russos que apoiam a guerra. Inclusive, há uma carta na qual eles afirmam que estão chocados pelas ações do governo. A carta foi assinada por mais de 5 mil pessoas. Dentre elas, havia pelo menos 85 que são membros da Academia de Ciências Russa. 

Os Russos

Inclusive, uma das pessoas que colaborou para a criação do documento foi Mikhail Gelfand. Ele trabalha com biologia no Centro Skoltech de Ciências da Vida em Moscou. Em entrevista à Nature, ele afirmou: 

“Minha antiga aluna vive na Alemanha e nós ainda colaboramos. Ela foi informada por seus superiores que qualquer contato com os russos seria fortemente desencorajado”. 

Além disso, ele afirmou que o clima está péssimo

“Nós nunca pensamos que chegaríamos a uma invasão direta” 

Entretanto, para os cientistas ucranianos esse sentimento não é o suficiente. Eles afirmam que os cientistas russos falharam, pois não condenaram as ações do governo de forma incisiva. Por isso, eles seguem defendendo que todos os cientistas russos precisam ser banidos. 

Gostou do nosso conteúdo? Está pensando em criar um evento online e precisa de ajuda? Fale com a nossa equipe! 

Thais Dias do Carmo

Thais Dias do Carmo

Posts Relacionados